Douglas Malharo no Lapa 40 Graus

O cantor pop Douglas Malharo transforma suas experiências pessoais em combustível para os acordes do CD

“Se eu fosse você, prestava mais atenção em mim…”.


Com uma intensa balada de levada romântica, o cantor e compositor mineiro lança o CD “Se eu fosse você, prestava mais atenção em mim…”. O álbum gravado nos estúdios da Som Livre & Mega traz 10 faixas, sendo que nove são inéditas e compostas por Douglas. Com uma fala mansa, o cantor mineiro transborda inspiração nos arranjos de forte apelo popular com um timbre afinado e marcante. Cada canção faz uma releitura de sua história pessoal em parcerias absolutamente pertinentes. A começar pelo mestre Dunga, músico e produtor responsável por grande parte de bem-sucedidos álbuns lançados na MPB.

Já na primeira canção, Fevereiro Para Reinar, é possível perceber a levada radiofônica de uma canção bem-humorada. Ela passeia pelo universo masculino, se desnuda em tons e se debruça no cuidadoso arranjo de metais de Dudu Viana. Em seguida, o apelo sonoro acelera a cada faixa. Com Um Laço, Um Nó, o refrão “Se eu me atrasar, você me espera” se torna um hit que adere na memória como o carismático visual de Douglas nos palcos. Na verdade, essa é uma das características das canções do compositor. Seus refrões bem construídos sustentam uma poesia visual que se sobressai no atual panorama musical. Para realçá-los, nada mais envolvente que o piano e as cordas do craque Paulo Calazans, que integrou o time de músicos Marcos Suzano, Milton Guedes, Lui Coimbra, Christiaan Oyenes, Vini Rosa, Renato Fonseca e Vanderlei Silva.

Nesse lançamento, Douglas dedilha e explicita seu amor pela canção popular em referências que vão de Lulu Santos e Paralamas do Sucesso a Adriana Calcanhoto, com grooves que remetem ao trabalho de Ed Motta e pitadas de Black Music que se diluem no romantismo do compositor. Uma das levadas mais originais é uma ousada versão acústica para Escrito nas Estrelas, entoada nos anos 80 no afinado e agudo gogó de Tetê Espíndola.

Mas nem sempre Douglas bebeu nas fontes da MPB. Na adolescência, chegou a liderar bandas de rock, passou pelo universo das bandas de baile e chegou a abrir shows e a dividir o palco com feras do cenário musical, como Cássia Eller, Lenine, Guilherme Arantes, Jorge Vercillo, Engenheiros do Hawaii, João Bosco, Elba Ramalho, Biquíni Cavadão, Cláudio Zolli e O Rappa, entre outros.

Antes disso, os shows de Douglas alçaram vôos. Depois de se apresentar por anos em barzinhos, o cantor e compositor passou mais de um ano entre Nova Iorque e Connecticut dedilhando seu violão e mostrando suas canções que entraram no primeiro CD do artista, “Um Pulo Sonoro… Além do anonimato”, indicado ao Prêmio Tim de Música Brasileira na categoria de disco independente de MPB. Agora, após 17 anos dedicados à música, a maturidade de Douglas vem à tona em um trabalho límpido, envolvente, com uma levada sedutora de acordes e tons onde se torna impossível não prestar atenção.

Se eu fosse você, prestava mais atenção em mim…”, por Douglas Malharo:

1 – Fevereiro Para Reinar (Douglas Malharo) – “Fiz em cinco minutos de uma forma muito engraçada. Estava com uns amigos na Praia de Ipanema e vimos uma morena maravilhosa passando com um corpo escultural. Comecei a compor enquanto ela andava de costas. Todos na praia pararam para vê-la passar. Quando ela virou, a praia inteira fez ‘ahhhhhh’. Era um travesti”.

2 – Um Laço, Um Nó (Douglas Malharo) – “É uma música muito radiofônica e atual. Falo em ‘se eu atrasar, você me espera’ porque sou um cara muito pontual e sofro com isso no Rio. Sempre chego antes. Uma vez fui buscar minha mulher no aeroporto e fiz essa canção para ela, que é meio uma declaração de amor. O cartão zerou enquanto nós conversávamos e isso entrou na música”.

3 – Escrito nas Estrelas (Carlos Rennó e Arnaldo Black) – “Fiz essa versão há oito anos. Comecei a tocar essa música em casa em forma de balada. Lancei em um show no Rio e comecei a perceber que, sempre que eu a cantava, muitas pessoas vinham falar comigo sobre essa música depois dos shows. Grandes músicos dizem que adoram essa versão”.

4 – Reinventar o Amor (Douglas Malharo) – “Nessa música eu digo ‘não vou mais brigar com o tempo’. Foi quando tive uma grande decepção com o ser humano ao presenciar uma blitz policial em camelôs. Assisti a guardas espancando camelôs e pensei o quanto as pessoas precisam reinventar o amor em suas atitudes. Eu não podia interferir naquela situação, a não ser em forma de canção. A música tem esse poder de transformar dor em amor”.

5 – Benzer (Douglas Malharo) – “Foi feita após uma briga com minha mulher. Nós íamos nos separar quando fiz essa canção. Comecei a lavar o rosto e me dei conta do poder de purificação da água, a sensação que ela traz de leveza. É uma música triste, uma declaração de amor mesmo durante uma separação”.

6 – Amor Infinito (Douglas Malharo) – “Sou de fato um cantor romântico pop. Essa música fala sobre superação e amor. Não sou de me inspirar em temas de revolta e nem faço canções políticas. O meu mote é sempre o amor”.

7 – Bem Mais Que Isso (Douglas Malharo) – “É uma música dançante, bem para cima. Fiz observando meu filho na praia, brincando. Tem uma batida alegre, falo ‘será que você já percebeu que o sol e a lua brilham menos que os seus olhos’ e ‘nem o mar chama tanta atenção do que ver você na areia’. Mas também ela se encaixa numa história de amor”.

8 – Ninguém Vai Nos Alcançar (Douglas Malharo) – “Ela tem umas cordas bonitas, fala de amor e me lembra a sensação de estar além do horizonte em minha terra natal, Santa Rita de Jacutinga. É uma cidade pequena, de quatro mil habitantes, onde todos me conhecem e onde me sinto em casa. Tem um clima mineiro de querer receber as pessoas e fala que tudo o que era ruim já passou. É um retorno à infância e aborda também a percepção de estar com a pessoa certa e crer em um amor indestrutível”.

9 – Ficando Sem Ar (Douglas Malharo) – “Essa é uma balada que fala sobre o tesão no beijo molhado, a sensação de ficar sem ar, a hora em sexo… Tem uma cadência harmônica sedutora”.

10 – Quando a Vida Diz Sim (Douglas Malharo) – “Um dia caminhava por Copacabana e decidi falar sobre o lazer de forma plena, suave, com piano e voz. Essa canção fala sobre pessoas que passam na nossa vida e sobre as que ficam”.

Durante toda a semana teremos promoções de CD’s do cantor em nossas redes, fiquem de olho! Twitter  e Facebook.

Contatos para shows:

Lucianadavid1@uol.com.br

Bastidores e Madre Música

21 2486-2215 / 21 2439-3219/ 21 9138-7014 /8*3597

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s